26/11/2014

Benjamin Lew - Nebka



IBÉRICO

INVERNO 1988
DISCOS


BENJAMIN LEW
Made To Measure 17: Nebka LP
CRAMMED DISCS-88

Este é o volume 17 da série MADE TO MEASURE, da Crammed Discs Belga. Já tardava uma nova edição e este “Nebka” de Benjamin Lew, se em parte satisfaz, por outro lado ilude um pouco as expectativas e sabe a pouco. Porquê esta dupla sensação? O coleccionador incondicional desta série (e é o meu caso), habituou-se a encontrar em cada um dos álbuns que a constitui, a par de uma qualidade musical intrínseca a cada disco, uma originalidade e diversidade de propostas que fazia de cada disco desta colecção, uma peça exemplar única. Ora, se neste volume 17, a qualidade continua a existir, já quanto à originalidade deixa algo a desejar. Fica-se com a sensação de que este é “apenas” mais um nº para acrescentar à série. Em parte esta sensação talvez resulte da própria escolha ter recaído em Ben Lew, que já participara, aliás, no volume 1 de apresentação deste selo, ou seja, a escolha parece ser demasiado óbvia e o músico demasiado “típico”. Ora, precisamente uma das características dos diversos discos editados, era esta recusa de uma música da qual se pudesse dizer: “Este é o género ou som da MADE TO MEASURE!”, como acontecia em relação ao som inicial da 4AD; sob a designação aparentemente unificadora de “musique de circonstance” (a circunstância é sempre única…) revelavam-se-nos propostas musicais radicalmente distintas e em que o factor surpresa era uma constante. Nunca se sabia que disco, que músico(s) ou que música constituiriam o próximo volume da colecção! Era (ou é) também nesta diferença que reside toda a coerência de todo este projecto editorial, no qual aliás o título MADE TO MEASURE é afinal bastante esclarecedor: um disco – uma peça musical única – uma música irrepetível.
Chegados a este ponto cabe esclarecer que os volumes imediatamente anteriores (nº15 e 16) são as reedições de dois discos de 1983 e 1985 do mesmo Benjamin Lew com Steven Brown, os álbuns “Douzième Journée: le verbe, la parure, l’amour” e “A propos D’un Paysage”, são sem dúvida superiores ao seu sucessor nesta série, “Nebka”, e com a vantagem de serem realmente peças musicais exemplares. Fica-se pois, após a audição de “Nebka”, com a dúvida de se teria sido necessária a edição deste disco, NESTA série, que nada acrescenta aos já citados LP’s. Talvez apenas a necessidade do lançamento de um disco mais recente por parte da editora.
Mas é então este um mau disco? – perguntarão os leitores – que não justifica uma audição ou mesmo a sua aquisição? É óbvio que não; considerado individualmente, este é um disco de qualidade muito acima da média: uma música que consegue ser ao mesmo tempo experimental e acessível, de uma beleza serena, às vezes possuidora de um lirismo próximo de um Wim Mertens. Melodias extremamente cativantes, alternando com sequências aparentemente mais dissonantes.
Acompanham Benjamin Lew, neste disco, nomes também eles familiares: Steven Brown, Marc Hollander e Blaine Reininger, seus companheiros de sempre.
Em suma, um disco extremamente belo, a merecer cuidada audição, tentando esquecer o facto de que é o mais recente volume da MADE TO MEASURE e sobretudo procurando fazer qualquer comparação com os restantes volumes desta série. O que eu fiz, afinal, nesta crítica…